segunda-feira, 8 de outubro de 2007

Quem não é por mim....

Tudo terá começado quando o Primeiro-Ministro, em reacção ao discurso do P.R. no 5 de Outubro, nos fez saber, de viva voz, que não tem problemas com os professores, mas com os seus sindicatos.
Dúbio e estranho sinal de quem pretende dignificar aqueles profissionais da Educação, como aconselhou o Chefe de Estado!
Se por mais não fosse, Sócrates não se pode esquecer que os sindicalistas são eles também professores e representam os seus associados, uma larga fatia desses profissionais.
Seguindo a sua linha de pensamento, os três mil policias que há dias se manifestaram no Parque das Nações não representaram o descontentamento dos elementos que integram esta força de segurança, no seu todo. Era mais um grupo de comunistas!....
Mas o que me preocupa, seriamente, são os sinais de perigoso autoritarismo que vieram de Montemor-o-Velho, na recepção ao Senhor Engenheiro.
Dois grupos distintos, cada qual pelas suas motivações, o aguardavam: um, aperaltado, de fato e gravata, como convém à adulação, com fartas palmas e convenientes salamaleques; outro, sem traje de cerimónia, exteriorizando toda a sua revolta pelas medidas lesivas de que se sentem vítimas e por repulsa pelas palavras de desconsideração de quem governa.
Mesmo após terem sido despojados de todos os cartazes de protesto, os agentes de autoridade ali presentes, mantiveram-nos, à força, bem distantes do grupo adulador. Não iam armados, para além das armas roucas das suas gargantas, sendo certo que o P.M. tinha a sua segurança pessoal para fazer face a qualquer palmada que lhe acertasse na face sorridente.
Mas....nada de misturas! Quem não era por Sócrates, era contra Sócrates!
E, se estes últimos não batiam palmas nem se prestavam aos tais salamaleques, não tinham o direito de se aproximar de Sua Senhoria!
Dir-me-ão que o ónus dessa medida pouco democrática ficará com o responsável pela manutenção da ordem no local. Cai por terra essa acepção: quem já esqueceu aquele episódio de há anos em que o Marocas, então investido do mais alto cargo da Nação, gritou, de forma agressiva, para os policias que abriam caminho à sua comitiva, ordenando-lhes que se fosse embora?! E eles foram....
Também ficámos a saber que as manifestações de desagrado junto do Senhor Engenheiro são de iniciativa dos comunistas, os tais que quando eu, e muito mais aquele senhor, ainda andava de cueiros, nos diziam "comerem criancinhas ao pequeno almoço". E que eram a causa de todos os males que ocorriam por terras de Santa Maria. Também naqueles tempos, quem não concordasse com o Governo era comunista....
Os comunistas são espantalho para toda a pardalada!
Cabe-me , a mim que nunca alinhei com as propostas de Lenines ou Maos, interrogar: eram só comunistas os manifestantes da Ponte 25 de Abril no caso das portagens e que foi a causa próxima para a deposição de Cavaco Silva? Lembro-me bem que, por entre os manifestantes havia muito pessoal conotado com o partido actualmente no governo, mesmo deputados! Nessa e em muitas manifs, quando o PS não era Governo...
Além do mais - e é isto que o Senhor Engenheiro não vê ou não quer ver -, são só os comunistas os lesados por esta política cerceadora de direitos adquiridos? Das alterações às regras a meio do jogo, com retroactividade só e quando lesa os servidores do Estado e outros trabalhadores? Duma política económica que nos estrangula a bolsa e acelera o desemprego? Duma falência atroz e desumana na Saúde e na Educação? Dum autoritarismo e arrogância que já se não viam desde o tempo do Tio Oliveira?
Pois, não! Mas os culpados são sempre os outros, ou os velhos comunistas ou o defunto de Santa Comba!
Haja bom senso, senhor Primeiro Ministro! Caia em si, arrepie caminho, para bem do povo (em nome de quem governa) e para bem da Democracia, pois, pressinto, que a continuar por esse trilho, não me surpreenderia se em breve o ouvir gritar:
Quem não é pela "Nação" é contra a "Nação"!
Quem não é pelo Governo é comunista!

Há ciclos da nossa História que não gostaríamos de saber reeditados!