domingo, 19 de outubro de 2008

São rosas, senhor, são rosas......


Ontem mesmo, dei por aqui nota de como o César dos Açores, no seu legítimo direito, recorreu ao artifício musical para alargar a audiência do seu comício derradeiro.
Surpresa minha, ou talvez não, a RTP, a tal que é paga por todos nós e a quem cabe um bom quinhão do orçamento de estado, aquela que nos dizem ser de "serviço público", fez farta tarde da sua transmissão televisiva com dois programas: o primeiro sobre a actualidade açoriana e as virtualidades do seu Presente ( o de César, entenda-se). Logo de seguida, de novo o já muito visto e, naquela estação, repetido concerto do Tony Carreira, por coincidência, o mesmo que levou milhares de fãs aos pés de César!
Eu sou mal intencionado.
Foram coincidências, senhores, foram coincidências........
Desavergonhadas coincidências, alguém dirá!