quarta-feira, 22 de outubro de 2008

LAPA, Sernancelhe


É aqui bem perto, nas imediações desta solarenga aldeia beirã que o Vouga inicia a sua aventura que, depois de cavalgadas por serras e vales, acaba a espreguiçar-se, junto ao mar que também é dele.

E é daqui, desde o seu berço, que o rio da minha infância, tem que começar a ser cuidado. Para que as águas que o embalam, desde as terras do demo até Lafões e Baixo Vouga, sejam credoras da beleza das margens que o vão sustendo.