domingo, 23 de novembro de 2008

As estações floridas...


... cativavam, nos idos anos sessenta, a atenção do pessoal que tinha por função manter os velhos e ruidosos vouguinhas nos carris, desde a Sernada até Viseu.

Por mais que uma vez, foram as de Lafões contempladas com prémios honrosos com que a CP procurava incentivar os seus servidores no embelezar das gares que geriam.

E mais uma foto, de meio século, saída do pó do baú, evocou-me o ano em que a Estação de Vouzela obteve um florido galardão máximo.

Entre duas apitadelas de comboios, que iam dobrando a curva do Vale Escuro, o pessoal da estação, após mais um copo apressado no escondidinho, nas traseiras da taberna, onde está hoje implantado "O Meu Menino", preenchia os tempos mortos com o tratamento dos canteiros do jardim da estação.

Recordo o entusiasmo do Chefe João Henriques Cardoso, já no descanso eterno, que mobilizava todo o pessoal de serviço, e não só, para as tarefas de guindar a sua "menina", a que se dedicava de corpo e alma, ao altar das mais belas da Linha do Vouga. É dele e do seu grupo, a velhinha foto que encabeça esta incursão ao passado.

Tempos idos, realidade que o Progresso venceu, sem que o possamos recordar com saudosismo, evocamo-lo como imagem sempre presente na memória dos lafonenses mais vividos, que se habituaram aos silvos alegres, por entre acácias e giestas, daqueles comboios fumegantes que se guindavam, serpenteando o Vouga, do Mar azul até à Serra verdejante!