sábado, 21 de março de 2009

A falta que fazem as barraquinha de tiro...



... da Feira Popular!

Num espaço entre dois pavilhões da Segurex2009, lá estava estacionada a carreira de tiro móvel da PSP. Um camião gigante que despertava o interesse de novos e idosos, sei lá se saudosos das tradicionais barraquinhas de tiro da "destruída" Feira Popular de Lisboa.
Centenas de visitantes acotovelavam-se em fila de espera para poderem entrar e terem o gozo de disparar uns "tirinhos" que as Relações Públicas daquela força de segurança proporcionavam a quem fizesse uma declaração prévia, por escrito, e se submetesse ao teste de alcoolemia.
Surpreendeu-me aquele furor, sobretudo nos jovens. E lembrei-me, então, a falta que fazem as típicas barracas de tiro, ali a Entrecampos.
E não pude deixar de recuar no tempo, até finais dos anos setenta, quando, acabado de regressar de Moçambique, em visita à Feira com a família, resolvi testar a pontaria.
Sem querer fazer vaidoso alarde das minhas qualidades de atirador, sei que em dez disparos com aquelas espingardas de pressão de ar (que eu conhecia por "mata-pássaros), fiz dez acertos e direito a outras tantas ginjas de prémio que o "barraqueiro" dos tiros foi dispondo em cima do balcão.
Não sendo, ao tempo, particular apreciador daquela bebida, tive que convidar os mirones que observavam para a "bebericagem", não me passando despercebido o esgar de desolação do homem da barraca, que esperava voltar a recarregar a garrafa do produto.
Que falta faz a velhinha Feira Popular!
Que jeito deu a carreira de tiro móvel àqueles jovens, e a alguns adultos, com propensão para carregarem no gatilho......... sei lá se para afugentarem ou abaterem o real fantasma da insegurança que grassa neste cantinho que já foi de paz e tranquilidade....